17 Nov. 2018

Notícias

A Osteopatia na Prematuridade

A prematuridade é um problema de saúde sério. Em comparação com os bebés termos (que nasceram dentro do tempo previsto), os bebés prematuros estão mais afetos a terem índices de saúde mais pobres, a terem um desenvolvimento motor e cognitivo ligeiramente atípico, e precisarem de necessidades especiais (controlo de temperatura, ajuda externa em caso de apneia e/ou bradicardia, alimentação cuidada e adequada) de maneira a facilitarem a sua maturidade fisiológica, principalmente no primeiro ano de vida. Os bebés pré-termo têm muitas vezes presentes uma relação sintomatológica com funções gastrointestinais, em especial vómito, cólicas, refluxo e obstipação.

Na nossa prática clínica, e através de estudos feitos recentemente, conseguimos perceber de forma clara a influência e benefício das estratégias aplicadas pela osteopatia pediátrica, na melhoria destes preditores de saúde dos bebés prematuros.

Os estudos de (Cerritelli et al., 2013, 2015; Pizzolorusso et al., 2011) mostraram em bebés prematuros internados em unidades intensivas neonatais, que os bebés sujeitos a osteopatia pediátrica durante o internamento, estiveram sujeitos a um tempo menor de internamento, com diminuição significativa dos eventos gástricos como vómito e/ou regurgitação, refluxo e obstipação, em comparação com bebés prematuros que não foram seguidos com osteopatia.

Consideramos que a osteopatia pediátrica é uma excelente forma de ajudar o seu bebé, melhorando a sua função gastrointestinal, o seu conforto, a ficarem mais relaxados, a melhorar a sua mobilidade e a fazer com que cresçam felizes e saudáveis.