• Tratamento de Lesões Pediátricas
  • A saúde é o melhor presente para a vida
  • Centrada na melhoria da qualidade de vida das crianças dos 0 aos 18 anos, a fisioterapia e a osteopatia têm um papel determinante na reabilitação de algumas lesões, resultantes ou não do parto, mas todas comuns à idade pediátrica.

    Recorrendo a técnicas suaves e específicas, distintas das aplicadas em adultos, a reabilitação pediátrica representa um desafio acrescido pela necessidade primária da conquista da confiança da criança.  

    Quanto mais precoce for a intervenção, melhores serão os resultados a esperar. O adiamento do diagnóstico e tratamento, poderão originar tensões e assimetrias mais difíceis de reverter.

    Indicada para casos de luxação congénita da anca, torcicolo congénito, plagiocefalia, recuperação de fraturas e/ou lesões traumáticas, má postura e escolioses, entre outros.

  • Fisioterapia Respiratória
  • Não deixarei que nada te pare
  • Sabia que existe uma maior prevalência de patologias respiratórias em bebés e crianças?
    Tal deve-se não só às suas características estruturais e funcionais, mas também ao meio envolvente e a características como prematuridade, baixo peso à nascença e deficiências congénitas, entre outros factores.

    Bronquiolite, bronquite, pneumonia, infecção respiratória e asma brônquica, são algumas das patologias que beneficiam da acção da fisioterapia respiratória.

    Através da aplicação de técnicas de desobstrução nasal, expiração rápida, expiração lenta prolongada, associada (ou não) a tosse provocada, realizada por fisioterapeuta com formação específica nesta área, visa a libertação das secreções que obstruem as vias aéreas centrais e periféricas e a promoção da função respiratória eficaz.

    Realizada sem recurso a aspirações, promove um alívio mais rápido de sintomas como falta de ar, tosse e diminuição do apetite, não representando qualquer risco para o bebé ou criança.

  • Massagem Infantil
  • Massajar o bebé é a forma mais primária de comunicar com o seu filho
  • Sendo a pele o maior órgão sensorial do corpo humano e o mais delicado dos nossos sentidos, é crucial para o bem-estar do bebé sentir o toque dos seus progenitores, garantia de estar em segurança, de ser querido e amado. Estas emoções e sentimentos são cruciais ao seu desenvolvimento emocional e intelectual, à sua aprendizagem e crescimento.

    Vital para a criação de laços afectivos fortes, o toque no bebé está também na base da criação e fortalecimento de uma relação saudável, equilibrada, de respeito mútuo e na promoção de tempo de qualidade para a família.

    Estudos na área da estimulação sensorial em bebés prematuros e bebés de termo, demonstram que a massagem permite:

    • Facilitar a digestão e a evacuação, reduzindo também episódios de cólicas;
    • Melhorar os padrões de sono do bebé;
    • Potenciar a capacidade do bebé se auto-regular (acalmar), aliviando o choro;
    • Facilitar a circulação e a respiração;
    • Diminuir o nível de hormonas do stress (noradrenalina e cortisol), aumentando o nível das hormonas de bem-estar (serotonina);
    • Aumentar a actividade vagal;
    • Facilitar o desenvolvimento motor, a noção da imagem corporal, coordenação e flexibilidade;
    • Ajudar mãe/pai e bebé a relaxar;
    • Melhorar a auto-confiança da mãe/pai na forma como lida(m) com o bebé.