• Nutrição Funcional e Reeducação Alimentar
  • Somos aquilo que comemos
  • A alimentação tem uma influência directa na saúde e, consequentemente, nas doenças. O que comemos pode contribuir para a perda ou aumento de peso, para o aumento ou diminuição dos níveis de colesterol, tensão arterial ou dos factores de risco cardiovascular.

    Assim, a aquisição de novos hábitos alimentares pela reeducação alimentar, além de permitir um emagrecimento e manutenção de peso mais efectivo a longo prazo (pela perda de massa gorda e não de água ou de massa muscular), garante também a prevenção e o combate de doenças e de carências alimentares.

    Embora a maioria dos utentes procure um nutricionista para perder peso, a sua contribuição para a manutenção da saúde e bem-estar pode estender-se a várias outras áreas: controlo de peso, prevenção e combate a doenças ou aquisição de hábitos alimentares mais saudáveis.

    O aconselhamento nutricional é essencial no caso de alergias ou intolerâncias alimentares (intolerância à lactose ou doença celíaca, por exemplo), ajudando o paciente a identificar quais os alimentos que pode ou deve evitar ingerir. A nutrição também tem sido importante na prevenção e estabilização de outras doenças como o cancro, a osteoporose, doenças pulmonares, doenças renais, etc.

    Indicado para casos de obesidade, excesso de peso, emagrecimento, doenças de comportamento alimentar (anorexia, bulimia, etc.), diabetes, refluxo gástrico, doença celíaca, transtornos gastrointestinais e diabetes, entre outros.

  • Nutrição Desportiva
  • Na base da pirâmide do rendimento e performance desportiva
  • Pela sua influência na performance desportiva, a nutrição desportiva deve ser considerada como parte da preparação do atleta para o desempenho ideal.

    Com o objectivo de promover a melhora da condição física, a nutrição desportiva visa dar resposta ao esforço adicional que o exercício físico exige, adequando a ingestão de nutrientes em função das características da modalidade desportiva, do próprio atleta e das diferentes fases do treino ou competição, com a possibilidade de recorrer, se necessário, à suplementação alimentar.

    A criação de planos alimentares ajustados e orientados para a realidade desportiva e fase competitiva de cada atleta são fundamentais para a melhoria do rendimento e da performance desportiva, redução de massa gorda, aumento de massa muscular, perda/aumento de peso e diminuição do volume corporal, entre outros parâmetros cruciais no cenário competitivo.